Filhos são prejudicados por problemas no relacionamento

Mas muitos estudos já foram feitos e já se sabe que as crianças são capazes de compreender tudo o que se passa ao seu redor, além de captar o clima do ambiente no qual estão inseridas. Por isso tenha certeza que os filhos são capazes de perceber se estão vivendo em um local de paz e harmonia, amor ou discórdia, brigas e desunião ou qualquer outra coisa.

E também tem casais que usam os filhos no meio das brigas e ate como forma de chantagear com o parceiro, tipo se você se separar não vai ver mais seus filhos e outra formas, e fazendo isso ele não pensa que poderá causar conseqüências como a criança ficar doente, se tornar agressivos, hiperativos ou apresentam queda de rendimento escolar. Mas a maioria dos casais dificilmente vê esses problemas como reflexo do relacionamento doentio que vivem e acabam vendo a situação dos filhos somente como mais um problema.

E na tentativa de resolver esse novo problema os pais procuram profissionais para auxiliar a criança, mas não informam ao profissional a situação familiar, por acreditar que isso não tem nada a ver; criança não entende nada. E os filhos passam a ter de tomar antidepressivos e ansiolíticos fortes e psicólogos procurando distúrbios de atenção inexistentes, entre outros.

Por isso e por outras coisas procure sempre evitar brigar na frente das crianças, ou colocá-las no jogo do casal, porque as crianças têm sim consciência do que se passa ao redor delas, escutam sim as brigas, e nelas não sabem o que fazer como se posicionar e normalmente acabem ficando contra um dos dois.

Busque sempre o amor acima de tudo, preciso clareza e exemplo prático em qualquer relacionamento, devemos saber que cada pessoa tem um papel especifico dentro da família que precisa ser cumprido, pois somos como engrenagens de uma mesma maquina, pode parecer feio dizer assim, mas é a verdade, se uma peça falha os demais terão problemas, é preciso ouvir, participar, interagir. Posso não concordar com algumas atitudes de meu marido com relação a meu filho, mas devo apoiar sua autoridade, mas isso não impede que eu possa consolar meu filho, se necessário.

Entretanto, a modernidade tem exigido muito das famílias, pois comumente pai e mãe trabalham fora de casa e os filhos acabam ficando sem aquele contato essencial à sua formação – a educação informal transmitida pela família e à escola coube assumir mais um papel, o de transmitir a formação familiar.

Atualmente, as mães ou os pais não encontram tempo para ouvirem seus filhos, ajudá-los em suas atividades extraclasses, tarefas ou trabalhos de pesquisa, saberem quem são seus amigos, quais são as músicas que ouvem, com quem falam ao telefone, enfim quem são os jovens que eles conceberam. Por sua vez, a escola tem enfrentado inúmeros problemas, até então de responsabilidade da família, e vem fracassando demasiadamente em relação à sua proposta educacional.

E as brigas normalmente também podem fazer com que os filhos percam o respeito pelos pais, briguem na escola, agridam os colegas e só conversem gritando. Isso ocorre por que as crianças tendem a reproduzir na rua aquilo que vêem em casa. E os filho principalmente os mais pequenos, eles parecem esponjas captando o que acontece a sua volta e depois eles reproduzem isso em outros locais e com outras pessoas.

E também se sabe que os filhos sofrem tanto psicologicamente e emocionalmente quando acontece a separação de seus pais, mas muitas vezes é mais saudável e benéfico para elas viver em harmonia com os pais separados, a todo momento ver os pais em eternas brigas e discussões, que muitas vezes são por coisa muito pequenas.

Por isso se você acredita que só não se separa porque os filhos vão sofres, é melhor rever seus conceitos e procurar ter mais atenção, e ver se as crianças já não estão sofrendo; se elas já não estão apresentando alterações de comportamento como reflexo da falta do seu entendimento com seu parceiro.

E se o seu caso for de estar quase em se separar, procure um especialista para auxiliar a criança nesse processo, e evite compartilhar a sua raiva do parceiro com a criança para que ela não fique confusa ao praticamente ser obrigada a odiar alguém que ama. Guarde isso quem não ama mais aquela pessoa é você, e os filhos sempre verão tanto pai como mãe, com respeito, admiração e principalmente amor, por isso não estrague isso deles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *