ESTÁGIOS DO TRABALHO DE PARTO

PRIMEIRO ESTÁGIO (período de dilatação do colo uterino)

Este estágio compreende a dilatação e o esvaecimento do colo do útero. Dilatação corresponde à abertura do colo e esvaecimento corresponde à grossura do colo. No início deste estágio as contrações ocorrem entre 5 a 15 minutos, mas na fase ativa elas ocorrem a cada 3 minutos. No final deste estágio as contrações ocorrem a cada 2 minutos ou às vezes a cada minuto e meio. Este estágio pode durar cerca de 8 horas  e pode ser dividido em três fases (1) quando o colo do útero está dilatado entre 0 a 3 cm; (2) quando o colo do útero está dilatado entre 4 a 7 cm. É nesta fase que se recomenda a internação hospitalar e (3) quando o colo do útero está dilatado entre 8 a 10 cm.

Relaxando Durante o Trabalho de Parto

Durante o primeiro estágio do processo, a musculatura uterina contrai para ajudar a empurrar o bebê para fora e para dilatar o colo do útero para ele poder sair. Ao entender o processo de nascimento e usando uma variedade de técnicas de relaxamento  e administração da dor, você estará providenciando mais oxigênio para o útero, conservando energia e melhorando as suas condições físicas e emocionais durante o trabalho de parto.

Relaxamento é a base das técnicas utilizadas para o controle das dores do parto. Aqui estão algumas formas para você praticar antes de começar o trabalho de parto:

°         Comece a praticar em uma posição confortável.

°         Use um foco de concentração que a ajude a relaxar. O seu foco pode ser externo (um desenho por exemplo) ou interno (imaginação).

°         Ouça música.

°         Respire calmamente para aliviar a tensão.

°         Confie na ajuda e suporte de seu parceiro enquanto você pratica as técnicas de relaxamento que se seguem:

INSTRUÇÕES DE RELAXAMENTO PROGRESSIVO

Assuma uma posição confortável, tenha certeza que seus membros estejam apoiados e discretamente curvados. Comece a prestar atenção na sua respiração, torne-a mais lenta e relaxante a cada movimento expiratório. Deixe seus olhos fecharem.

Enrugue a sua testa, deixando as suas sobrancelhas o mais alto possível e segure por alguns segundos. Solte e sinta a tensão escoando da sua testa e couro cabeludo. Agora feche os seus olhos fortemente e enrugue o nariz. Segure por alguns segundos e solte, sentindo a tensão se evadir da sua face. Aperte seus lábios e dentes. Segure por alguns segundos e solte. Sinta seu queixo cair e sua língua descansar solta na sua boca…Encurve seu pescoço encostando o queixo no tórax e relaxe…..

Agora levante seus ombros até suas orelhas e segure por alguns segundos, Assim que você soltar você sentirá a tensão deixando seu pescoço e suas costas.

Aperte seus punhos fortemente e sinta a tensão nas suas mãos. Segure. Agora aperte seus braços em direção aos ombros, segure por alguns segundos, relaxe…

Encurve suas costas por alguns segundos. Agora solte…. Aperte seus músculos abdominais por alguns segundos . Solte-os … Agora tensione as suas nádegas, segure e solte …

Aperte os seus pés, puxando seus artelhos para cima em direção ao joelho, segure por alguns segundos, relaxe o seu pé. Tensione a sua perna todo o caminho desde os pés até a bacia, segure por alguns segundos e relaxe sentindo a tensão se escoar pelos seus pés.

Respire devagar, soltando qualquer tensão residual em cada expiração. Preste atenção em qualquer parte do seu corpo que esteja incomodando e a solte, tensionando-a primeiro e relaxando depois. Ganhe tempo aproveitando este estado de descanso, notando o relaxamento dos seus músculos. Você os sente flácidos e pesados, quentes e confortáveis. Aproveite este bom momento por alguns minutos. Quando você estiver pronta para “acordar”, estique os seus braços e pernas, respire profundamente e abra seus olhos. Sempre levante devagar para não sentir tonturas.

INSTRUÇÕES DE RELAXAMENTO FISIOLÓGICAS

Empurre os seus ombros em direção aos seus pés. Pare e relaxe. Sinta esta posição cômoda. Você sentirá o pescoço mais longo.

Vire seus cotovelos para fora e abra. Pare e descanse. Sinta o seu braço se esticar em relação ao seu corpo, em um ângulo aberto nos seus cotovelos. Seus braços devem estar se apoiando em algo.

Alongue seus dedos e polegares para fora. Pare e descanse. Sinta os seus dedos descansarem num suporte principalmente seus polegares pesados.

Mova o seu quadril para fora. Pare. Sinta suas coxas rolarem para fora e suas rótulas se moverem lateralmente. Agora mova seus joelhos até achar uma posição confortável. Pare e relaxe. Sinta a posição. Empurre seus pés para longe de sua face, curvando-os no tornozelo. Faça isto devagar e com cuidado para não sentir dor nas panturrilhas. Sinta o seu pé pesado latejar.

Respire pelo nariz mais devagar. Conforme o ar entra sinta o abdômen expandir. Conforme o ar sai, sinta suas costelas indo para dentro e para baixo.

Empurre o seu corpo contra o seu suporte. Pare e descanse. Sinta o suporte sustentando o seu peso. Empurre sua cabeça contra o suporte. Pare e descanse. Sinta o peso de sua cabeça descansando no suporte.

Puxe o seu queixo para baixo. Sinta seus dentes separados, seu queixo pesado e seus lábios soltos. Pressione a sua língua contra a sua boca. Sinta suas pálpebras descansando sobre seus olhos. Pense na área acima de suas sobrancelhas e se imagine alisando-a para cima, para dentro de seus cabelos, por cima de sua cabeça, e para baixo do seu pescoço.

Você pode querer repetir a seqüência inteira, talvez indo um pouco mais rápido. Agora, pense em alguma coisa para ocupar a mente, como uma lembrança feliz, uma música ou até uma prece.

Aproveite e curta os resultados de seu trabalho. Antes de se levantar, sempre alongue suas coxas e boceje, retornando devagar as suas atividades.

USANDO TÉCNICAS RESPIRATÓRIAS PARA RELAXAR

O modo como você respira está muito relacionado a sua habilidade de relaxar. Por exemplo, pense em como você respira quando você está nervosa. Agora compare com a diferença que é a sua respiração quando você está preste a dormir.

Usando técnicas especiais de respiração em combinação com técnicas de relaxamento no trabalho de parto, da a você um foco de concentração e diminui a ansiedade em relação à dor. Antes de você começar a praticar as técnicas de respiração, deixe o seu parceiro determinar a sua freqüência respiratória no repouso. Isto ele fará contando quantas respirações você faz em um minuto. Guarde na memória sua freqüência respiratória para realizar os exercícios.

Conforme começa e termina cada contração faça a respiração “limpeza”. Uma respiração “limpeza” é feita simplesmente inspirando pelo nariz e expirando pela boca. É como se fosse um grande suspiro. É um sinal para seu parceiro que a contração está começando ou terminando, e é a sua pista para relaxar.

Você e seu parceiro poderão optar por praticar sua respiração com massagem de ponta de dedos.Você e seu parceiro põem as mãos nos seu abdômen, na coxa externa, ou nas costas e fazem uma pressão circular durante a contração. Usualmente você se sentirá melhor se fazer em conjunto com a respiração.

Conforme você pratica estes exercícios, ache aquele que você se adapta melhor. Não existe jeito certo ou errado de usar estas técnicas.

Ritmo Lento de Respiração

O ritmo lento de respiração é o primeiro padrão respiratório a ser usado no trabalho de parto. Deve ser usado em combinação com o relaxamento quando você percebe que este sozinho não é suficiente para você administrar as dores do trabalho de parto. Este é o menos fatigante dos padrões respiratórios e o melhor a ser usado, se possível em todo o parto. O ritmo lento de respiração consiste:

°         Comece cada contração com uma respiração “limpeza”.

°         Respire numa moderada e confortável freqüência durante as contrações.

°         Termine cada contração com uma respiração “limpeza”.

Ritmo Respiratório Modificado

Este tipo de respiração é discretamente mais rápido que a sua freqüência basal. Mudar para este padrão a deixa mais alerta e mais capaz de se concentrar conforme o trabalho de parto avança. Este padrão se constitui de :

°         Comece cada contração com uma respiração “limpeza”.

°         Respire discretamente mais rápido durante a contração (conforme você pratica você descobrirá que seus movimentos respiratórios são mais superficiais do que aqueles de ritmo lento).

°         Termine cada contração com uma respiração “limpeza”.

Este padrão deve ser usado quando o ritmo lento já não é mais eficaz. Como ele é um pouco mais cansativo do que o primeiro, retorne ao ritmo lento sempre que possível.

Ritmo Respiratório Padronizado

Este tipo de respiração é semelhante ao padrão modificado com uma variação adicional:

°         Comece cada contração com uma respiração “limpeza”.

°         Respire discretamente mais rápido durante a contração e acrescente um sopro rítmico durante as contrações.

°         Termine cada contração com uma respiração “limpeza”.

Este padrão de respiração é bastante cansativo, mas pode ser efetivo para lidar com as contrações intensas no estágio final do trabalho de parto, procure retornar ao ritmo lento sempre que possível. Enquanto você pratica, deixe seu parceiro contar as contrações para você. Referir quantas contrações apareceram em 10 minutos é um sistema convencional e de fácil comunicação entre médico e paciente.

Lembre-se de praticar os padrões respiratórios sempre que possível, sentada, andando, deitada, ou até mesmo dirigindo um carro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *