Gravidez não é doença. Juro!!!

Você já reparou qual a segunda reação mais comum quando você enuncia a frase, “Gente! Estou grávida!!!”.
Normalmente, em uma gravidez desejada (programada ou não) a primeira reação costuma ser uma mistura de surpresa, emoção, felicidade, realização.
Mas a segunda… Veja algumas “pérolas” que você vai ouvir de “amigos e parentes”:
– Xiii! Você gostava de dormir de bruços? Aproveita…

– Tenta dormir do lado da cama que fica mais perto do banheiro. Vai ficar mais prático…

– Você está acostumada a vomitar por qualquer coisa? Vai se preparando…

– Cuidado com o que você come. Se fosse o meu obstetra… Você estava perdida.

– Nosssaaa, o que eu mais me lembro da minha gravidez foi como meus pés incharam…

– Menino ou menina, cabeludinho ou carequinha, a azia vem do mesmo jeito. Você vai ver…
Isso sem contar o tradicional e fatídico:
– Você pensou bem no que você fez??? Filho é pra vida toda, viu???
E você, que nem se acostumou ainda com a idéia, já começa a ficar preocupada com essa “nova doença” que você pegou: a gravidez!!!
Será que tem que ser assim? Lógico que não. Cada um é cada um (profundo isso, não é?).
Felicidade, insegurança, azia, expectativa, medo, insônia, euforia, tristeza, náuseas, paz de espírito: uma montanha russa de sintomas e emoções que podemos sentir em qualquer época, mas que nesses nove meses assumem um significado especial.
A gravidez é uma fase da vida da mulher (assim como a menarca – primeira menstruação, a adolescência, a menopausa) em que ela vivencia mudanças físicas (hormonais, digestivas, estéticas) e psíquicas muito características, muitas agradáveis e outras não. A forma de encarar e passar por essa fase é que faz toda a diferença.
Algumas pessoas têm a mania de tentar alertar contra os perigos e os problemas da situação, outras não estão nem aí com a sua vida e algumas curtem essa emoção e compartilham esses momentos com você. Por que essa diferença?
Porque cada um é cada um, mesmo (continua sendo profundo) e reage de um jeito diferente aos mesmos estímulos!!!
Fica difícil aceitar que gravidez não é doença, não fica? Como fazer isso?
Você já pensou em procurar um homeopata?
A homeopatia é uma especialidade médica que pode perfeitamente acompanhar você, de forma individualizada, durante o seu pré-natal e melhorar sua qualidade de vida nesse período até o parto. Mesmo que seu homeopata não seja um obstetra, o acompanhamento pode ser feito em conjunto (dois médicos).

O remédio homeopático, receitado pelo seu médico, age de maneira eficaz e sem riscos durante a gravidez, não só aliviando um sintoma, mas também “desarmando” tendências de algumas doenças que podem surgir sem uma prevenção adequada. E isso vale tanto para a futura mamãe quanto para seu bebê (ainda dentro do ventre materno).
E essa ajuda não precisa terminar quando o bebê tão esperado nasceu. A homeopatia tem função em outras fases importantes desse seu processo como no pré e pós-operatório, por exemplo, facilitando a cicatrização e diminuindo o sangramento, favorecendo a contração uterina e uma recuperação mais rápida e harmoniosa.
A recém-mamãe também pode se beneficiar do tratamento homeopático para ajudar a produção e descida do leite materno, prevenir o quadro de depressão pós-parto e muitas outras situações que, se não forem diagnosticadas a tempo pelo seu médico de podem tirar um pouco da emoção e da imensa felicidade de ser mãe.
Ah! Eu tinha me esquecido. Parabéns pela gravidez!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *