20 dicas para o seu leite aumentar

A princípio, toda mãe tem capacidade de amamentar. Porém, o corpo de algumas mulheres fabrica menos leite, problema que pode ser resolvido com tranqüilidade

Afinal, o leitinho da mamãe contém todos os ingredientes necessários para o crescimento infantil, estimula o sistema imunológico da criança e ainda facilita o desenvolvimento ósseo e muscular da face, preparando-a para a mastigação.
Sem contar que o ato reforça o vínculo afetivo entre mãe e filho. Há mulheres, no entanto, que podem apresentar certas dificuldades nesse momento. Apenas 1% delas possuem disfunções orgânicas que impedem a amamentação. Entre os outros obstáculos, podemos citar ansiedade e falta de experiência como os principais.

Segundo pesquisa recente feita pela Universidade Federal de São Paulo, cerca de 40% das mães simplesmente não sabem como amamentar seus bebês. A quantidade de leite também é outro problema a ser vencido. “Aleitar envolve dois seres apaixonados um pelo outro.

Entretanto, um deles ou até mesmo ambos podem atrapalhar-se na hora e não conseguir concluir o ato”, explica a médica Ana Lúcia Dias Paulo, professora de Pediatria da Associação Paulista de Homeopatia. Veja como lidar com o desafio de aumentar a produção de leite, segundo a especialista.

1.Não se estresse
Ninguém é de ferro. Mais do que nunca, a mamãe que amamenta precisa relaxar. Após o nascimento, o colostro começa a ser substituído pelo leite. Essa transição ocorre em cerca de 48 horas e depende da prolactina e da ocitocina, hormônios produzidos pela hipófise (glândula do sistema nervoso central). A liberação depende dos estímulos físicos sofridos pela mãe, como o ato de sucção do mamilo pelo bebê, e emocionais. Portanto, eventos estressantes podem diminuir ou até mesmo inibir a produção láctea.

2.Durma bem
Com tanto gasto de energia, que começou lá na gravidez, a mãe precisa de horas de repouso para repor as baterias. O descanso é primordial, uma vez que o gasto físico é grande. A dica é pedir ajuda ao papai para cuidar do pimpolho, socorro que faz parte da interação familiar.

O estresse é um grande inimigo da amamentação. Portanto, seu filho deve mamar num ambiente tranqüilo.

3.Alimente-se adequadamente
A mamãe deve dar preferência aos alimentos ricos em minerais, especialmente cálcio e fósforo. A principal fonte desses nutrientes é o leite e seus derivados, como iogurtes e queijos brancos. No entanto, eles também podem ser encontrados nos cereais integrais.

Apesar de consumido por nós em pequena quantidade, o gergelim possui dez vezes mais cálcio e seis vezes mais fósforo que o leite. Incluir na alimentação peixes como tilápia, carpa e badejo, bem como frutas e verduras verde-escuras, auxilia na fixação do cálcio nos ossos. Em caso de cólicas do bebê, não é necessário deixar de comer couve-manteiga nem feijão (basta deixá-lo de molho por duas horas antes do cozimento).

4.Pratique exercícios com prazer
A malhação costuma ser liberada para mães habituadas à prática que tiveram parto e pós-parto tranqüilos, pois se trata de uma boa maneira de recarregar as baterias e relaxar. Já mamães que não estão habituadas ou que ainda estão em recuperação devem esperar um pouquinho mais para resgatar a forma perdida quando já estiverem descansadas.

5.Observe os intervalos entre as mamadas
É importante ter constância do local e da hora para aleitar. As crianças são metódicas e se sentem mais seguras quando a programação é mantida. Os pequenos costumam mamar a cada 3 horas, ficando em média 15 minutos em cada peito.

Procure estimular a duração, caso contrário o pequenino pode não sugar o suficiente e adormecer de barriga vazia. Vale a pena manter descobertos os pés dos mais sonolentos e chamá-los com freqüência pelo nome para que fiquem acordados. A prática estimula a lactação e ajuda a criança a criar seu ritmo.

6.Ensine a pega certa à criança
A sucção estimula a produção de prolactina e ocitocina, hormônios responsáveis respectivamente pela produção e ejeção do leite materno. A boa pega ocorre quando a criança abocanha toda a aréola mamária (2 cm além do mamilo).

Esse ato cria um bolsão de ar na boca infantil, que exerce pressão para o interior da faringe, fazendo com que o bico seja estendido para o interior da boca. Os movimentos de língua e mandíbula possibilitam que o leite esguiche diretamente para a garganta. A partir daí, a única tarefa do bebê será engolir seu gostoso leitinho. O alongamento do mamilo, que pode até triplicar de tamanho, é um sinal de que a pega foi bem-feita.

7.Tenha calma nessa hora
Cada bebê tem seu tempo certo. Procure amamentar o seu com paciência, amor e serenidade. Esse cuidado é muito importante, sobretudo no início, quando você e ele estarão se conhecendo. As crianças são totalmente capazes de sentir o que sentimos. Mamãe tranqüila, filhote em paz.

8.Previna rachaduras
As fissuras ocorrem quando o nenê não faz a pega correta. Ao sugar apenas o bico do seio, a boca infantil exerce pressão sobre a pele do mamilo, que é mais sensível que a do restante da mama e com o tempo sofre escoriações.

Além disso, a saliva do bebê contém enzimas digestivas que se depositam no bico do seio, podendo causar feridas. Para evitar esses problemas, sempre que for amamentar, higienize as mamas com água filtrada e, em seguida, umedeça o bico com o próprio leite. Ao final, repita a limpeza com água.

9.Tome chás
Os chás para lactação podem ajudar você a produzir mais leite. O mais conhecido deles é o Chá da Mamãe, da Weleda. Além da água utilizada na sua preparação, que ajuda por si só, o produto é composto por quatro plantas com ação galactagoga, ou seja, estimulam a secreção láctea nos ductos mamários sem interferir no sistema hormonal. Portanto, seu efeito ocorre apenas no momento da ingestão.

10.Beba bastante líquido
Toda mãe que amamenta sente sede. O desejo precisa ser atendido. A água deve ser o líquido preferido, uma vez que ao ser ingerida poderá se transformar no alimento do bebê sem grandes processos orgânicos. Para aumentar a produção, então, a mãe deve beber água não só durante o dia mas principalmente também na hora em que estiver amamentando.

11.Use roupas apropriadas
Vestimentas apertadas devem ser evitadas, dando-se preferência aos sutiãs que sustentam com conforto. É que durante a gestação os níveis de estrógeno e progesterona fazem crescer de forma significativa o tamanho dos seios, o que é causado pela gordura depositada e pelo aumento dos ductos lactíferos

12.Ache a melhor posição
A mãe deve procurar a postura mais confortável possível para amamentar, seja recostada na cadeira para amamentação, seja num sofá. Da mesma forma, o bebê tem de estar numa posição em que se sinta bastante tranqüilo.

Há crianças que preferem permanecer deitadas, outras encostadas e ainda aquelas que gostam de ficar quase sentadas nas pernas da mamãe, de frente para o peito materno. Aliás, essa é uma boa posição, pois o pequeno mantém a garganta alinhada e de frente para a mama, o que facilita muito a deglutição.

O bebê bem posicionado e com boa pega inclina levemente o pescocinho para trás, empurra o queixo contra o peito e mantém suas narinas livres para respirar tranqüilamente.

13.Entenda que nem tudo depende de você
O pequenino precisa participar ativamente do ato de amamentar. Afinal de contas, é a sucção correta que estimula os hormônios femininos a atuar sobre a musculatura lisa que reveste os ductos mamários, favorecendo a saída do leite materno.

14.Divirta-se com a criança
O simples fato de a mãe brincar com o seu bebê já favorece a produção e a conseqüente ejeção do leite. É o famoso cheirinho de mãe. A criança sente e reconhece sua progenitora. O corpo materno idem: percebe e reconhece a necessidade de alimentar sua cria.

15.Não deixe o bebê chupetar o bico
O hábito de chupetar o bico do seio deve ser evitado a todo custo, pois favorece o aparecimento de rachaduras. Para prevenir que seu filho faça isso, coloque-o em uma posição confortável e estimule-o a esvaziar um peito totalmente antes de oferecer o outro. Dessa forma, a lactação pode se manter por vários meses ainda.

16.Esgote uma mama antes de dar a outra
Se o bebê se cansa com facilidade, chame-o pelo nome e faça intervalos entre a mamada de cada peito. Ao sugar 15 minutos, ele poderá ser colocado no ombro para descansar e arrotar – nem todos o fazem.

Procure, então, começar a mamada sempre pelo último peito ofertado na mamada anterior, pois este ficará com uma sobra de leite que sairá com mais facilidade quando o bebê sugar.

17.Não confunda os bicos
Sugar é instintivo, acalma e dá prazer ao pequeno. No entanto, crianças com necessidades orais satisfeitas dificilmente aceitam a chupeta. O apetrecho, portanto, deve ser evitado, pois com o crescimento pode evoluir para formas desagradáveis de deglutição não nutritiva, como roer unhas, morder a extremidade do lápis, sugar o lábio ou a língua.

O mesmo vale para a mamadeira. Além disso, o mecanismo de sucção desses bicos artificiais é bem diferente da técnica da ordenha, que promove o crescimento e o posicionamento correto da mandíbula, do palato, da língua e da musculatura da face, possibilitando boa deglutição e respiração e preparando a criança para a mastigação no futuro.

18.Sempre que possível, dê o peito
Durante os primeiros seis meses, o bebê recebe tudo o que precisa do leite materno. Quanto mais você oferecer o peito, mais leite produzirá.

19.Tome remédio somente com orientação médica
Nada de automedicação. É verdade que há medicamentos que podem estimular a lactação. Mas os bons profissionais sugerem à mamãe adotar primeiramente outros recursos, como descansar, ficar tranqüila e aumentar a ingestão de líquidos antes de prescrever drogas. A precaução se justifica pelos possíveis efeitos colaterais para mamãe e bebê.

20.Apronte o bico

A preparação deve ser feita durante a gestação, sobretudo se a mulher tiver mamilos invertidos ou planos, que dificultam a pega do bebê. Para deixar o mamilo mais resistente, uma boa dica é esfregar uma bucha ou a toalha suavemente nele.

Isso faz com que a pele fique mais grossa, prevenindo, assim, futuras rachaduras. Após o nascimento, durante o banho, a mãe
pode massagear o bico com óleo (o de gérmen de trigo é ótimo), buscando dar-lhe forma e alongá-lo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *