Doces: saiba comer evitando cáries

Você sabia que os dentinhos do seu filho começam a se formar durante a sétima semana da gravidez? Por esse motivo, a alimentação da mãe, a ingestão de medicamentos fortes e até seu estado emocional podem interferir na formação dos dentes do bebê. Cálcio, fósforo e vitaminas, necessários para dentes e ossos sadios, são fornecidos ao feto por meio de uma dieta balanceada, contendo os quatro grupos básicos de alimentos.

O bebê prematuro possui mais chances de apresentar o esmalte dental enfraquecido. O fato ocorre porque, na época do nascimento, estas áreas estariam ainda se mineralizando. No período de amamentação, é mais comum o aparecimento de cárie nos bebês que são alimentados por meio de mamadeira, devido ao açúcar utilizado para adoçar o leite.

O ideal é antecipar-se e levar seu filho para realizar um exame capaz de verificar se ele possui saliva ácida, fator que aumenta as chances do aparecimento de cáries. Quando os alimentos sólidos passam a fazer parte das refeições da garotada, sabe-se que o açúcar é o grande vilão da saúde bucal das crianças.

Porém, o perigoso não é a quantidade de doces ingeridos, e sim a freqüência de consumo. Pequenas quantidades de açúcar, ingeridas várias vezes ao dia, fazem mais mal aos dentes do que uma grande quantidade consumida de uma só vez.

A explicação é simples: o açúcar é aliado das cáries porque diminui o ph (potencial hidrigeniontico) da saliva e, quando o ph está baixo, a condição é ideal para a formação da placa bacteriana. Uma dica importante é evitar o consumo de açúcar perto da hora de dormir. Quando a criança está dormindo, a língua permanece em repouso e não realiza a limpeza mecânica da boca. Além disso, não há secreção salivar.

Dentes de leite – Os cuidados com os dentes decíduos, chamados popularmente de dentes de leite, devem ser tomados logo que os primeiros dentinhos começam a nascer, por volta dos seis meses de idade. Muitos pais não se preocupam com as cáries dos filhos enquanto os dentes ainda não são permanentes. Porém, a criança com cárie acaba não mastigando corretamente, devido à dor, ocasionando problemas estomacais.

Além disso, caso o problema seja constatado tardiamente e o dente tenha que ser arrancado antes do período ideal, haverá maior dificuldade para o nascimento dos dentes permanentes. Vela lembrar que a cárie é infecto-contagiosa, portanto, quanto mais rápido for realizado o tratamento, menor as chances de outros dentes serem atingidos pelas bactérias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *