Férias podem ser boas e saudáveis. Saiba como!

Sabe aquelas coisas que a gente acha que não precisa falar porque imagina que todo mundo já sabe? Parece que não é bem assim, não é mesmo?

As férias estão aí, nossos filhos estão aqui, os avós deles não estão nem aí e surge um dos grandes problemas dessa época ben(mal)dita para os pais: alimentação.

“DidaticamenteR21;, dividi as crianças em dois grupos durante as férias:

– Aquele grupo que você precisa “laçar” para vir comer;
– Aquele grupo que você precisa “expulsar” da frente da TV, do videogame, do computador que são acompanhados pela pipoca, pelos salgadinhos, pelos biscoitinhos recheados, pelos refrigerantes e pelo etc.

Nas férias, temos o hábito de fazer tudo aquilo que não podemos fazer livremente durante o período das aulas (ou, para nós, de trabalho). A primeira grande mudança das férias é a de horários (hora de acordar e de dormir).

Isso deve e pode ser feito durante as férias. Isso é o que dá às férias a cara de férias: o total descompromisso com qualquer regra.

Mas lembrem-se:

– Nosso metabolismo não tira férias;
– Os adipócitos (células gordurosas ávidas por … gordura) não tiram férias;
– As férias não são eternas e elas acabam. E na volta das férias…

Não é raro que essas crianças ganhem de 4 a 5 quilos nestes dois meses de férias. Normalmente, estas mesmas crianças levam de 4 a 6 meses para perderem este peso, tentando reconquistar sua confiança e sua auto-estima.

Aí, sabe o que acontece? Chegam as férias de julho …

Baseado nas recomendações da Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, apresento a vocês:

Alimentação Saudável para Crianças: Siga os Dez Passos.

01. Procure oferecer alimentos de diferentes grupos, distribuindo-os em pelo menos três refeições e dois lanches por dia.

02. Inclua diariamente alimentos como cereais (arroz, milho), tubérculos (batatas), raízes (mandioca/macaxeira/aipim), pães e massas, distribuindo esses alimentos nas refeições e lanches do seu filho ao longo do dia.

03. Procure oferecer diariamente legumes e verduras como parte das refeições da criança. As frutas podem ser distribuídas nas refeições, sobremesas e lanches.

04. Ofereça feijão com arroz todos os dias, ou no mínimo cinco vezes por semana.

05. Ofereça diariamente leite e derivados, como queijo e iogurte, nos lanches, e carnes, aves, peixes ou ovos na refeição principal de seu filho.

06. Alimentos gordurosos e frituras devem ser evitados; prefira alimentos assados, grelhados ou cozidos.

07. Evite oferecer refrigerantes e sucos industrializados, balas, bombons, biscoitos doces e recheados, salgadinhos e outras guloseimas no dia-a-dia.

08. Diminua a quantidade de sal na comida.

09. Estimule a criança a beber bastante água e sucos naturais de frutas durante o dia, de preferência nos intervalos das refeições, para manter a hidratação e a saúde do corpo.

10. Incentive a criança a ser ativa e evite que ela passe muitas horas assistindo TV, jogando videogame ou brincando no computador.

Assim, após seguir o aleitamento materno exclusivo até o 6º mês de vida, há uma chance de mudarmos o panorama preocupante de obesidade infantil e doenças de adultos que as crianças estão recebendo como herança genética junto com o padrão inadequado de estilo de vida, mesmo nas férias.

Eu sei que vocês já sabiam (mesmo?) e que nem precisava reforçar (tem certeza?).

Boas férias e feliz ano todo de 2.011.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *