Uso de água potável: grávidas e crianças

Dra. Angelina M. F. Gonçalves

Dia 22 de março ficou definido como o dia Mundial da Água. Criado pela ONU(Organização das Nações Unidas)), leva a uma série de questionamentos. Apesar do planeta ser constituído fundamentalmente por água, apenas 0,008%do total é própria para o consumo, ou seja,  potável.

A contaminação da água por poluentes (químicos, biológicos e físicos), falta de saneamento e degradação de ecossistemas são fatores ambientais que influenciam a nutrição e saúde materna, e consequentemente o bom desenvolvimento fetal e da criança. O consumo de água não potável pode ser potencialmente fatal para pessoas com sistema imunológico enfraquecido, o que ocorre temporariamente na grávida e em crianças muito pequenas.

A exposição de gestantes nas primeiras duas semanas a benzeno, chumbo e mercúrio é uma causa importante de aborto. A presença de nitritos devido a emprego excessivo na agricultura (componente de adubos) pode levar a problemas intestinais graves em recém-nascidos. Compostos organoclorados (presente em pesticidas) estão associados ao comprometimento motor e cognitivo da criança.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) cerca de 80% de todas as doenças no mundo é ocasionada por água contaminada. E ainda, a falta de saneamento básico e acesso a água potável é responsável por 3,5 milhões de mortes ao ano.

A água própria para consumo e preparo de alimentos deve ser tratada. No Brasil, em 60% dos municípios é feita ainda adição de flúor, o que contribuiu para redução de incidência de cáries em crianças. A importância da água estar adequada com a Portaria MS nº518/2004 e que é fornecida pela rede pública de abastecimento é primordial, além de ser básico para a sua potabilidade. Vale lembrar que a água mineral geralmente traz quantidades de flúor insuficientes.

Alguns outros cuidados com relação à criança, sobretudo no primeiro ano de vida devem ser tomados, como a limpeza e esterilização de mamadeiras e chupetas.

A crescente preocupação com a disponibilidade mundial da água exige uma nova consciência em relação a utilização desse recurso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *