Como enfrentar a intolerância à lactose

A falta ou a baixa produção da lactase, a enzima que digere o açúcar do leite, pode provocar desconforto estomacal, diarréias e dores

Alimento fundamental no cardápio diário da grande maioria das pessoas, o leite é composto por diversas substâncias essenciais para a saúde como vitaminas, lipídios, carboidratos, proteínas e minerais. A lactose, o açúcar presente no leite, por exemplo, é importante fonte de caloria para nosso organismo. Durante a digestão, com a ação da enzima lactase, tranforma-se em dois monossacarídeos, a glucose e a galactose, carboidratos simples que são facilmente absorvidos pelo organismo gerando energia.

Algumas pessoas, porém, apresentam falta ou deficiência na produção da lactase. Sem a enzima, a lactose ingerida com o leite e/ou seus derivados (queijos, iogurtes, manteiga, etc) chega até o intestino grosso sem ser absorvida pelo organismo, é fermentada por bactérias e acaba provocando reações como dores abdominais, diarréia (ou constipação, em alguns casos), distensão abdominal, gases, náusea e outros sintomas típicos de má digestão.

A concentração da lactase nas células intestinais é farta ao nascermos e vai decrescendo com a idade. Existem pessoas que nascem sem a capacidade de produzir lactase e, enquanto bebês, sequer podem ser amamentados, pois surge a implacável diarréia.

A intolerância à lactose existe em diferentes níveis, pois a quantidade de lactase produzida pelo corpo varia de pessoa para pessoa. Algumas possuem uma deficiência mínima na produção da enzima, enquanto outras simplesmente não a produzem. Por isso, buscar a orientação de um médico ou nutricionista é muito importante. Só um profissional de saúde poderá identificar o problema e indicar os melhores tratamentos.

Os sintomas podem ser minimizados ou até eliminados limitando-se ou evitando o consumo de produtos com leite. Hoje, a indústria alimentícia investe no desenvolvimento de produtos isentos de lactose e é possível encontrar nos supermercados chocolates, leites, biscoitos, bolos e tantas outras variedades de alimentos sem o açúcar e que, portanto, não fazem mal para quem os ingere.

Por outro lado, adotar uma dieta livre de lactose requer cuidados no que diz respeito à carência de nutrientes encontrados no leite, principalmente o cálcio. Os alimentos lácteos são responsáveis por cerca de 70% do cálcio da alimentação humana. Para suprir essa necessidade vale apostar em vegetais verde-escuro, como brócolis, espinafre, agrião e couve; grãos como amêndoa, gergelim, castanha do Pará, avelã e soja, além de peixes, especialmente, a sardinha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *