10 DÚVIDAS SOBRE ALIMENTAÇÃO NA AMAMENTAÇÃO

1. Restrição alimentar
A princípio, nenhum alimento é proibido. Mas o bebê pode começar a recusar o aleitamento devido a alguma rejeição ou intolerância com alguma substância. Fique atenta com os seguintes itens: leite de vaca, castanhas (como o amendoim), frutos do mar e carne de porco. Mas, antes de riscá-los no cardápio, converse com o seu médico. Outra dica importante é abrir mão de bebidas alcoólicas durante o período em que estiver amamentando.
2. Fazer regime pode?
Recuperar a boa forma após a gestação é o desejo de muitas mulheres. Porém, cortar calorias é perigoso, afinal o organismo precisa de energia para produzir o leite materno. Para alimentar o bebê, as mulheres precisam de 20% a mais de calorias do que as necessárias em outra fase da vida. Sem contra que o ato de amamentar faz perder peso gradualmente.
3. Alimento light ou diet
O ideal é fazer uso moderado dessas substâncias, pois elas não são consideradas saudáveis. É ainda melhor usar açúcar, em menor quantidade. Se a mãe quiser fazer uso de adoçante que não ultrapasse dois envelopes por dia (duas colheres de café se for em pó ou dez gotas se for líquido).
4. Período indicado da amamentação
A Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde recomendam a amamentação exclusiva por seis meses. Após este período, é indicado que o leite materno continue sendo oferecido em parceria com a alimentação complementar. Isso pode se estender até os dois anos de idade ou mais.
5. Tempo de cada mamada
Cerca de dez minutos em cada peito são suficientes. Porém, nos primeiros dias, quando o hábito começa a ser estabelecido, o tempo pode ser bem maior. E o intervalo entre uma mamada e outra deve ser de duas a quatro horas.
6. Como aumentar a quantidade de leite
A própria sucção é um estímulo para a produção de leite. Cabe à mãe, ingerir bastante água, pois ela é matéria-prima essencial nesse processo. Outra dica é esvaziar o peito para que a produção não pare. Por isso, se o bebê não mamar todo o leite disponível, retire o que sobrou. Inclusive, existem acessórios indicados para isso. ~
7. Mamãe vegetariana
É importante redobrar os cuidados com a alimentação e se certificar de que está ingerindo vitaminas e minerais suficientes. Uma consulta com um nutricionista pode ser a melhor opção para elaborar um cardápio adequado, com refeições e lanches saudáveis.
8. Atenção com os gases
Alimentos como brócolis, repolho, feijão, ovo, marisco, chocolate, milho, cebola, alho e alguns temperos podem causar gases, diarreia ou brotoeja no bebê. Produtos industrializados e com muitos corantes e aditivos também podem fazer mal. Mas isso varia de mulher para mulher, para se certificar de quais alimentos afetam o bebê, basta eliminá-los da dieta por um ou dois dias e observar se os sintomas desaparecem.
9. Cafezinho está liberado?
A cafeína pode ser eliminada ou deve ser reduzida durante a amamentação. Algumas vezes, afeta o leite e provoca agitação e irritação no bebê, além de desconforto no estômago. Se a cafeína for um problema, procure eliminar da dieta também os chás pretos, refrigerantes, chocolates.
10. Lanchinho bom
Adote o hábito de comer um lanchinho nutritivo como uma vitamina de iogurte batido com frutas, uma barrinha de cereais ou uma torrada com queijo, sempre que for dar de mamar.

Fonte- Nutróloga Liliane Oppermann
Site- www.doutoraliliane.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *