ATENÇÃO CRIANÇAS: CUIDADO COM O BICHO-GEOGRÁFICO NO VERÃO

De acordo com o dermatologista Anderson Bertolini (CRM-107976), diretor médico da Clínica Bertolini, o clima quente e úmido propicia essa doença. “Nas fezes de cães e gatos se encontra o parasita Ancylostoma braziliensis que causa manchas parecidas com desenhos geográficos. O calor, a umidade, a terra ou a areia favorecem a transformação dos ovos em larvas, que penetram na pele por meio de contato. Por esse motivo, a praia pode ser um foco de contaminação”, explica.
Contágio
O contato das larvas com a pele causa irritabilidade e pode provocar infecções secundárias, devido ao ato de coçar. Além disso, como as larvas eliminam substâncias tóxicas, pode causar alergia, tosse e falta de ar. “A larva se locomove na pele formando um túnel. Elas não ultrapassam a epiderme e também não caem na corrente sanguínea”, destaca o dermatologista.
Consequências
O bicho geográfico acomete os pés, as nádegas, as costas e as mãos. “Todo cuidado é pouco. Ao sentar, pisar e até mesmo encostar alguma parte do corpo no local onde se encontram as larvas, a pessoa pode ser contaminada”, acrescenta Bertolini. Essa doença é mais comum em crianças, por ficarem brincando na areia da praia, mas também pode afetar os adultos.
Tratamento
Pode ser feito por meio de pomadas específicas, quando a infestação é pequena e, em casos mais graves, por via oral. “Dependendo do número de lesões o tratamento pode ser feito por meio de substâncias anti-helmínticas. Não deixe de consultar um dermatologista para avaliar a gravidade da lesão e indicar qual é o melhor tratamento para a doença”, ressalta.
Curtindo a praia com segurança
• Evite sentar-se em locais próximos às calçadas, onde o perigo é maior devido à circulação de animais. Também não se acomode em áreas onde há terra e pouquíssima circulação, normalmente, nestes locais os donos costumam levar os animais para defecar.
• Circule pela praia de chinelos. Se caminhar na areia ou na beira da água descalça, lave os pés depois com água doce, de preferência fria.
• Cuidado ao tomar sol, use uma toalha limpa ou até mesmo a canga para evitar o contato direto com a grama ou a areia.
• Evite levar o seu cachorro ou gato para passear em parques e praias, para evitar a proliferação das larvas na estação mais quente do ano.
Lembrando que os pais devem manter cuidado redobrado com as crianças que gostam de brincar na areia. “Evite que as crianças brinquem descalças em lugares que cães e gatos utilizam para defecar para impedir o contágio do bicho geográfico”, finaliza o médico.

Fonte- Dermatologista Anderson Bertolini, Diretor Médico da Clínica Bertolini – CRM- 107976 – www.clinicabertolini.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *