CIRURGIA PLÁSTICA: A GESTAÇÃO PODE ESTRAGAR UMA PLÁSTICA ANTERIOR?

As mulheres que desejam ter um corpo perfeito precisam ficar atentas às mudanças corporais que podem atormentá-las no decorrer do tempo, por causa de uma decisão ou gestação involuntária.
São inúmeras as cirurgias que podem ser apresentadas antes desse período. Hoje cerca de 20 mil mulheres aderiram ao implante do silicone. O medo de que o implante caia durante a amamentação acaba assustando, porém essa queda não é proveniente à lactação. Com o tempo as próteses vão sofrendo uma leve queda por conta da flacidez da pele e até mesmo pelo volume do silicone. Quanto maior for a prótese, mais rápido será a queda da mama.
Quando o caso se refere à redução dos seios, há um grande risco de a mãe ter dificuldades para amamentar, porque a cirurgia é mais invasiva, todavia, as técnicas adquiridas hoje vêm trabalhando para ajudar na preservação da função da mama.
A lipoaspiração é a segunda maior cirurgia plástica realizada no Brasil, no ano de 2009, foram quase 87 mil operações realizadas só em mulheres. De acordo com o Ibope, 84.478 delas também fizeram intervenção abdominal.
Para esses casos, o cirurgião plástico Carlos Bautzer da Clínica de Especialidades Integrada sugere que as transformações sejam feitas depois da gravidez. “Não existe complicação, mas o ideal é realizar uma cirurgia plástica, principalmente a abdominal, depois que a mulher tenha decido não ter mais filhos, pois a gestante pode sentir um pequeno incomodo na sutura e a cicatriz pode alargar. É possível ocorrer ainda um afastamento dos músculos que foram reparados durante a cirurgia”, diz ele.
Embora isso aconteça, quando a incisão vai envelhecendo, ela ganha mais elasticidade e pode acompanhar o crescimento da barriga. Entretanto, para uma mulher que já passou por uma abdominoplastia é recomendada uma atenção redobrada.
Como a pele já foi esticada, ela está mais propensa ao desenvolvimento de estrias, por isso a hidratação é imprescindível. Já que essa área pode sofrer escurecimento por causa do excesso de melanina, o uso do protetor solar é bastante apropriado.
O elemento que pode contribuir para reverter à cirurgia plástica – lipo ou abdominoplastia é o ganho demasiado de peso.
Às vezes algumas mulheres se perguntam por que o resultado da plástica diminuiu após a gravidez, sendo que ela não engordou tanto? Pois é, a genética e os hormônios também influência bastante nesse setor, em vista disso não se deve comparar uma situação com outra.
Existem mulheres que conseguem, em pouco tempo, voltar ao corpo anterior à gravidez através de exercícios, porém isso não é uma regra.O importante portanto é ficar atenta ao peso durante a gestação, com um acompanhamento ginecológico e nutricional.

Fonte- Carlos Bautzer, Cirurgião Plástico da Clínica de Especialidades Integrada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *