PREGOREXIA: DISTÚRBIO ALIMENTAR NA GRÁVIDA

“O risco de pregorexia é maior em mulheres que já têm histórico de distúrbios alimentares como anorexia e bulimia, ou entre aquelas que não têm apoio social, familiar ou acompanhamento médico durante a gestação”, alerta a endocrinologista Carolina Mantelli Borges, da Clínica de Especialidades Integradas.
Por isso, se a mulher engravida e começa a enfrentar dificuldades para aceitar a sua imagem corporal, é importante compartilhar isso com o seu médico. “Durante o pré-natal, o especialista poderá ajuda-la a estabelecer uma meta de ganho de peso adequada com base em seu peso pré-gestacional e índice de massa corporal”, afirma a médica. Além disso, o obstetra poderá encaminhá-la para outros profissionais da saúde, como um endocrinologista, uma nutricionista e até um psicoterapeuta, que terão condições de ajudar essa gestante a adotar hábitos de vida saudáveis para que o ganho de peso seja adequado durante a gestação.
De acordo com a endocrinologista, em geral, mulheres com peso normal podem ganhar até 14 quilos durante os nove meses de gravidez. “Quem está acima do peso, não deve ultrapassar o ganho de 10 quilos durante a gestação”, diz a médica. E quem está abaixo do peso, pode engordar entre 11 e 16 quilos.
Para facilitar, a endocrinologista Carolina Mantelli Borges indica alguns sinais que podem indicar a presença da pregorexia:
• Falar sobre a gestação como se isso não fosse algo real ou como se não tivesse assimilado o processo pelo qual está passando.
• Preocupação excessiva com as calorias dos alimentos.
• Alimentar-se sempre sozinha e pular refeições.
• Exercitar-se muito.
• Usar laxativos ou sofrer vômitos induzidos.

Fonte- Endocrinologista Carolina Mantelli Borges, da Clínica de Especialidades Integradas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *