REDUÇÃO DE ESTÔMAGO X GESTAÇÃO

Uma pesquisa da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo revelou que recém-nascidos de mulheres que passaram pela cirurgia bariátrica (redução de estômago), tiveram problemas logo depois do parto. Ao todo, 14% desses recém-nascidos apresentaram problemas respiratórios ou infecções e a outra metade dos bebês nasceu abaixo do peso.
De acordo com a cirurgiã plástica, Ana Paula Polato Guiné (CRM-87.18), após a cirurgia há uma redução de vitaminas e minerais no organismo, em decorrência do rápido emagrecimento, o que leva a uma perda muscular associada.
“O corpo leva um tempo para normalizar o suprimento de vitaminas e outros nutrientes. O resultado mais comum é o registro de anemia por deficiência de ferro. Em grávidas, a consequência disso pode ser prejudicial ao feto”, explica a cirurgiã plástica.
Gravidez após a cirurgia bariátrica pode trazer complicações para a saúde da mulher e do bebê?
Depois da cirurgia a mãe não consegue absorver nutrientes e vitaminas necessárias para que o feto se desenvolva e nasça com saúde. O principal risco para o bebê é nascer prematuro, o que pode acarretar problemas no desenvolvimento físico e motor da criança.
As técnicas para redução do estômago podem trazer problemas sérios se o tratamento e o acompanhamento pós-operatório não forem bem feitos.
“O procedimento envolve a retirada de uma parte do estômago e muitas vezes de parte do intestino, o que resulta em uma pior absorção de alimento. A alimentação passa por uma pequena parte do estômago que segue para o intestino. A partir desse momento, o corpo começa a absorver pequenas quantidades de vitaminas, cálcio e proteínas. Todo esse processo é responsável pela perda de peso”, destaca a médica Ana Paula Polato Guiné.
O ideal é a mulher esperar pelo menos um período de um ano e seis meses para retirado engravidar depois da cirurgia. Essa pausa é importante para o organismo se habituar à nova forma de alimentação.
“É necessário ter paciência e cuidado após a cirurgia de redução de estômago para evitar problemas de saúde para a mulher e para o feto. A gestante deve seguir, à risca, todas as recomendações médicas para que seu bebê venha ao mundo desfrutando de muita saúde”, aconselha a cirurgiã plástica.
Saúde da mãe e bebê
Para prevenir problemas maternos ou fetais, a mamãe deverá fazer o pré-natal com controle quinzenal e exames periódicos, sejam eles laboratoriais ou ultrassonográficos. Conheça algumas dicas de prevenção e que podem ajudar as gestantes a cuidar melhor do seu bebê:
-A absorção de nutrientes fica comprometida, por isso capriche na suplementação de nutrientes importantes para a gestação, como ácido fólico, cálcio, vitamina A, sulfato ferroso e vitamina B12. Faça isso também antes da fecundação e sempre sob-recomendação médica.
-Os episódios de desconforto abdominal, náuseas e vômitos, já comuns na gravidez de qualquer mulher, tornam-se mais frequentes em uma mulher com o estômago reduzido, por isso evite alimentos muito pesados e que sabidamente causem acúmulo de gases.
-Cuidado com a hipoglicemia. A falta de açúcar no sangue pode causar danos ao bebê. Alimente-se corretamente e em intervalos regulares
-Quando a criança nascer mantenha a suplementação de vitaminas, pois a amamentação exigirá maior aporte de nutrientes.
Fonte- Cirurgiã Plástica Ana Paula Polato Guiné – CRM- 87. 718

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *